Vale do Rio, à descoberta do Caima

Vale do Rio é um hotel rural de Oliveira de Azeméis que nos leva de regresso ao verde e aos cheiros da terra. Um pequeno paraíso a apenas uma hora do Porto

Vale do Rio é um hotel rural que aproveita a envolvente do Rio Caima para criar um refúgio a pouca distância do Porto. Com um conceito ecológico e procurando integrar-se na sua envolvente, é um excelente convite para o regresso ao campo e ao verde. Nomeado como “Portugal’s Leading Green Hotel” pelo World Travel Awards, resolvemos ir investigar. Aceite o nosso convite para uma visita a Oliveira de Azeméis e descontrair em ambiente campestre.

O Vale do Rio nasceu da recuperação de uma central hídrica já centenária construída nas margens do Caima. Recuperou-se também o passado na energia e o novo hotel recorre a vários tipos de renováveis: hídrica, solar, foto-voltaica, biomassa e biodiesel. Apesar do “espírito verde” o espaço não deixa de ser moderno e sofisticado. O hotel dispõe de 30 quartos, uma suite, dois quartos superior aqua deluxe e um quarto adaptado para pessoas com mobilidade reduzida. Todos os quartos têm vista para o Caima e para as suas margens. A decoração é inspirada nos quatro elementos da natureza: Fogo, Água, Terra e Ar. A simbiose entre os tons sóbrios e quentes dos elementos, o design actual do mobiliário e a atmosfera acolhedora conferem o toque de classe.

Para esse espírito sofisticado contribui ainda um restaurante, um bar, um ginásio, um spa e um pequeno museu. O Spa oferece piscina, banho turco e vários tratamentos de beleza e relaxamento. O Restaurante Hídrica do Caima aposta na gastronomia tipicamente regional, com um toque requintado. Encontra-se num edifício recatado na margem, estando também aberto ao público que queira aproveitar a paisagem do rio.

Pelas margens do Caima

Para além de passeios descontraídos, há um mundo de actividades para se aproveitar. O hotel tem programas de escalada para famílias, BTT, Paintball, Lasertag ou Tiro com Arco, mas a atenção regressa sempre ao rio. Ao descer a Serra da Freita, vários cursos de água juntam-se no Rio Caima. Na Frecha de Mizarela atira-se do alto de 60 metros antes de prosseguir caminho por Vale de Cambra, Oliveira de Azeméis e Albergaria a Velha.

Antes de morrer no Vouga,  Caima tem ainda tempo para criar bonitas paisagens ao longo da margem. A praia fluvial de Burgães é um dos pontos mais visitados e merece bem a deslocação, em qualquer altura do ano. Ao longo do rio encontramos a cultura em socalcos e, pelos açudes, uma rica fauna e flora. Acontece aqui perto um fenómeno curioso, as Pedras Parideiras, com direito a um centro de interpretação próprio. São o resultado de um processo geológico raro, em que pedras mais pequenas brotam de uma rocha-mãe. Só se conhece um outro exemplo no mundo (na Rússia) e, ancestralmente, era interpretado como um milagre da fertilidade. Também no parque, antes da Mizarela, encontramos as curiosas Marmitas de Gigante  ou ainda Trilobites em Canelas. Os aventureiros podem atacar o canyoning, com um percurso no Caima a demorar cerca de 4 horas.

E ainda…

Em Sever do Vouga, a Cascata da Cabreia  forma uma tranquila lagoa rodeada de vegetação. Em São Pedro do Sul, outro rio, o Vouga, é cenário para termas que poderão ter 2.000 anos. Se seguir na direção de Aveiro faça um desvio de uma dezena de quilómetros para visitar a Pateira de Fermentelos. E, se em alguma altura, tiver que se submeter à ditadura do estômago, aproveite os nossos destaques para o melhor da gastronomia de Aveiro.