Viseu, encruzilhada dos sabor e vinhos do Dão

Viseu e o Dão estão cheios de saúde e recomendam-se. Venha com a Goodyear descobrir onde provar os melhores vinhos do Dão e a gastronomia de Viseu.

Com a produção dos Vinhos do Dão a passar por uma das melhores fases da sua História, não admira que Viseu comece a transformar-se num belíssimo destino gastronómico. Há uma nova geração de gente jovem que acredita que também é possível fazer coisas modernas e de qualidade sem renegar a tradição local, há público e oferta mas, acima de tudo, há vinho e pratos de qualidade excepcional para justificar uma visita gastronómica à região do Dão. Estamos na altura das colheitas e dá vontade de pegar no carro para cheirar os odores da terra, por isso a Goodyear rumou a Viseu e conta-lhe as coisas boas que comeu e bebeu.

Rota dos Vinhos do Dão

A região do Dão é a mais antiga zona demarcada de vinhos não licorosos e tem muito do que, de uma forma ou outra, caracteriza os vinhos portugueses. O relevo acidentado, o solo granítico e a grande amplitude térmica, criam terrenos onde a Touriga Nacional, a Encruzado ou a Alfrocheiro Preto resultam em vinhos encorpados e complexos, capazes de envelhecer para néctares ainda mais interessantes. O Douro terá sempre o seu lugar especial, o Alentejo continua a fascinar, mas depois de uma fase de alguma decadência, com uma concorrência tão forte e um excesso de produção a que não correspondia a qualidade exigida, o Dão volta a conseguir afirmar-se.

Sítios onde um enófilo descobre o céu

Começamos a nossa visita pela porta oficial: o próprio Solar do Vinho do Dão, onde está sediada a Comissão Vitivinícola Regional, na Mata do Fontelo. Além de ser um bom, e muito bem conservado, exemplo das casas senhoriais agrícolas da nossa História, serve o duplo propósito de posto de apoio para os turistas enófilos que, como nós, estão a fazer a Rota dos Vinhos do Dão, e de expositor dos produtos locais, com uma belíssima montra dos melhores vinhos da região. Já agora, aproveite para visitar a Sé de Viseu e o Museu Grão Vasco, que ficam a apenas 500 metros.

Se vem com tempo, dinheiro e vontade de encher a bagageira do carro, a sua próxima paragem tem que ser na Cave Lusa, uma garrafeira verdadeiramente impressionante. Num espaço moderno mas que não desvirtua em nada a tradição do vinho, encontramos milhares de marcas diferentes e não deve haver outro sítio com tão completo leque de vinhos do Dão. Aproveite para levar para casa um Condessa de Santar de 2012 branco ou um Villa Oliveira Touriga-Nacional tinto de 2010, dois dos melhores vinhos que provámos nos últimos anos.

Dizem os especialistas que este último ano foi de difícil cultivo, com más condições meteorológicas, mas a Quinta da Fata conseguiu vencer as adversidades e o prémio para a “Melhor Vinha do Dão” em 2016, por isso a nossa rota tem que passar também por aí. Com uma zona dedicada ao alojamento rural, este é um dos casos em que o enoturista pode ter um genuíno contacto com o produtor durante um fim de semana de descanso. Outro local que não nos cansaremos de recomendar é a Casa da Ínsua, que continua a ter o experiente José Matias a receber prémios à conta de excelentes vinhos como o Reserva Branco de 2009.

E a melhor companhia para os vinhos do Dão é…

O forasteiro desatento fica surpreendido quando descobre aquilo que as gentes da região escolheram para ser o acompanhamento de tão magníficos vinhos. É verdade que nunca houve polvos no Dão, mas a mestria com que os cozinheiros de Viseu o fazem seria capaz de nos fazer acreditar no contrário. Historicamente, chegava aqui vindo da Figueira da Foz para ser seco em Tondela e foi primeiro um prato de dias de festa, até hoje ser uma tradição de todo o ano. Faz-se à lagareiro ou em pataniscas fritas, e é acompanhado por arroz ou migas de broa. Apesar da presença do rio, só o bacalhau tem igual destaque aqui na zona (ou não fosse um ícone nacional), mas não é complicado descobrir os melhores representantes.

O nosso destaque para o polvo é no 3 Pipos, em Tonda, onde é feito tanto à lagareiro como frito e leva as obrigatórias migas. A garrafeira deste restaurante merece também a sua atenção, com natural preponderância para os vinhos locais e uma selecção que poderá adquirir na Lojinha dos Pipos, no mesmo local. Em Nelas, o Bem-Haja dá-nos jazz como acompanhamento de uns filetes de polvo deliciosos e, aquando da nossa visita, bebemos aqui um Vinha Paz de excepção. Já que anda por aqui, visite a Cooperativa Agrícola local onde pode participar em provas de vinhos.

Viseu

Ao mesmo tempo que continua a sobreviver a restauração mais tradicional, Viseu tem já uma clientela mais jovem e urbana que motivou a criação de novos espaços que, mesmo assim, continuam a viver dos sabores tradicionais. O Dux veio de Coimbra para Viseu e tem uma ementa mais sofisticada, do tipo tapas & petiscos, mas que mete o vinho do Dão como principal destaque. Jantares vínicos, produtores do mês e visitas a quintas são algumas das actividades que nos dizem onde está o coração da gerência. Com espírito semelhante, o Tasquinha da Sé assume-se como verdadeiro Winebar, com uma carta de meter respeito e uma cozinha deliciosamente caseira.

Mistos de juventude e tradição, Viseu e o Dão estão cheios de saúde e recomendam-se. A terra do velho Viriato não vive só das glórias passadas e tem oferta para um tipo de enófilo mais jovem, mas não menos informado.

E ainda…

Já que anda pela região de Viseu, aproveite o passeio para dar um salto à lindíssima Serra do Caramulo, e visitar o Museu do Automóvel. Agora não é a altura ideal para os desportos aquáticos, mas o espelho da Barragem da Aguieira presta-se a belíssimos passeios nas suas margens e, se depois seguir para sul, vai ter que cruzar a Bairrada, por isso aproveite para visitar o velho amigo leitão.