Volante do motor: o que é, para que serve e como funciona

14 Agosto | 2019 | Goodyear

O volante do motor, também conhecido como volante de inércia, é, possivelmente, uma das peças mecânicas mais impopulares devido às suas avarias e às reparações a que obriga. A sua função principal é oferecer precisão e é vital para o funcionamento de qualquer motor. O volante do motor é um mecanismo chave para que o motor funcione corretamente e é uma peça que está sempre presente em qualquer motor, seja de que tipo for.

Função e localização do volante do motor

O volante do motor é uma peça fabricada em aço e com a forma de um círculo. Este mecanismo fica sempre situado junto à cambota mais perto da caixa de velocidades e junto à embraiagem.

O objetivo desta peça é o armazenamento de energia cinética, processo relativamente fácil feito através da inércia. O volante do motor armazena a energia que passa para o motor. Quando deixa de receber força, o volante continua a sua inércia e consegue reduzir os movimentos bruscos. Além disso, amortece as vibrações originadas pelo próprio motor e isto faz com que a condução seja muito mais cómoda e satisfatória.

A maior redução das vibrações do motor consegue-se com rotações baixas. Basicamente, o volante do motor é uma peça chave em motores de três ou quatro cilindros, os mais habituais do mercado.

Quantos tipos de volante de motor existem?

São, basicamente, dois. O mais comum é o volante SMF ou mono-massa, também chamado de volante de motor rígido. É o mais simples mas também o mais o menos comum na atualidade. É feito de uma só peça, de grandes dimensões e de forma circular. O seu perímetro é dentado e consegue reduzir ao máximo a velocidade angular da cambota.

O segundo é o DMF, bimassa ou dual. Esta tipologia é melhor do que a anterior já que é mais completo e eficaz. É composto por duas massas ligadas que giram entre si, uma mola helicoidal e um anel de rolamento. Destaca-se pela grande redução das vibrações na cadeia cinemática durante mais tempo.

Os motores bimassa, para além destas características, têm uma vantagem: na sua superfície encontram-se as referências do fabricante para a regulação recomendada. Desta forma, quem o manusear pode saber o nível exato de distribuição da peça para o seu funcionamento correto.

Principais avarias do volante do motor e como alargar a sua vida

Como qualquer peça que esteja diretamente relacionada com o motor, o volante do motor é sensível às avarias. É um mecanismo de funcionamento e desgaste constante mas, apesar deste desgaste, o uso correto pode alargar o seu tempo de vida.

O melhor para aumentar a sua vida útil é cuidar ao máximo da embraiagem. O volante do motor está vinculado a este pedal do veículo e usar a embraiagem com moderação é vital para que esta peça não se desgaste. Ou seja, deve usar-se a embraiagem de forma responsável e suave, não a soltando bruscamente. Também é importante não acelerar com força quando carro circula a baixa rotação.

Esta peça está também ligada ao motor de arranque. Se o motor de arranque não funciona bem, a carga de trabalho do volante do motor aumentará para conseguir o mesmo rendimento. Os amantes da velocidade devem ter em conta que “quitar” o carro ou aumentar a potência não beneficia o estado desta peça. Quanto maior a potência, maior o desgaste.

Como detetar quando o volante do motor falha

É relativamente fácil detetar problemas neste componente do motor. Os principais sinais de alarme são:

  • Ruídos estranhos na hora de arrancar o veículo: são metálicos e é recomendável sair do carro para escutar melhor e, se necessário, colocar-se junto ao motor.
  • Ruídos ao pisar a embraiagem, também metálicos: recomenda-se que os escute fora do carro e junto ao motor.
  • Ruídos e vibrações quando o motor do veículo está ao ralenti: é mais que provável que estes sintomas diminuam ao acelerar o motor.

O problema mais importante na reparação não é a peça em si mas onde está colocada. Por esta razão, deve ser montada por um mecânico profissional. Aconselha-se a sua substituição cada vez que mude a embraiagem.

O custo do volante do motor está relacionado com a marca e há uma grande variedade. Os preços variam segundo o modelo para o qual está desenhado: oscilam entre os 150 e os 500 euros, mas este valor pode ser maior se também for preciso comprar o kit de embraiagem.

Mudar o volante do motor não é fácil, é uma tarefa para especialistas que possuam ferramentas mecânicas, já que é necessário desmontar muitas peças e, mais importante, conhecer qual é o aperto correto para os parafusos do volante do motor.

É totalmente recomendável levar o carro a um mecânico caso seja preciso substituir esta peça. O preço da mão de obra é o que mais pode encarecer o arranjo: mudar o volante do motor é uma questão de horas. No total, substituir o volante do motor incluindo a peça e a mão de obra poderá ficar entre 700 e 1000 euros, um motivo de peso para fazer caso dos conselhos para uma vida longa do volante do motor.

Good Year Kilometros que cuentan