São João, o melhor convite para a Noite Mais Longa!

Da Ribeira à Foz, o Porto recebe a noite mais longa! Aproveite o São João para um fim de semana na invicta e divirta-se com estes conselhos para novatos.

O São João do Porto é uma das datas mais marcantes para a cidade e, além de meter os portuenses a percorrer as ruas em massa, traz à Invicta muitos forasteiros facilmente convencidos a participarem também na noite mais divertida do ano. Em 2017 a noite do santo (23/06) calha a uma sexta-feira, o que transforma este fim de semana no ideal para uma escapadela no Porto. Fique a conhecer de seguida as tradições, o que ver e o que visitar na Noite do São João do Porto.

São João é um dos santos mais festejados mas a data escolhida, coincidente com o Solstício de Verão, mostra-nos que há também uma tradição pagã nesta festa. As fogueiras, os manjericos, o lançamento dos balões e o fogo de aritfício, são sinais de uma história que vai para além da religiosidade católica e no Porto respeitam-se ambas as tradições: celebra-se com toda a energia e exageros vínicos e gastronómicos, mas também há tempo para se recordar o homem que terá batizado Jesus.

À espera da noite mais longa…

Ainda dia 24 vai longe e já o Porto entra numa roda viva de atividade e preparação. Mas, chegada a data, aproveite a tarde enquanto os portuenses montam as grelhas, vá espreitar as igrejas e capelas da cidade que nesta altura vestem-se com as suas melhores roupagens e prestam diversos tributos a São João. As “Cascatas” são uma espécie de presépios, mas apresentam cenas e lugares da cidade em tempos mais antigos, recordando profissões e hábitos entretanto desaparecidos. Esta tradição deverá ter aparecido no séc. XIX e o seu mais conhecido representante é a Cascata das Fontaínhas, que se constrói na Alameda já há mais de 70 anos. Mais recentemente, a Cascata da Câmara tenta ser original todos os anos e exige uma deslocação até aos Paços do Concelho.

Martelos vs alhos porros

Martelos vs alhos porros

A noite de São João festeja-se por toda a cidade e não há freguesia que não monte o seu arraial. Há concertos gratuitos em vários pontos do Porto, como na Casa da Música ou no Parque da Cidade, por isso a festa tem muito que andar e visitar ao longo da noite. Arme-se com o seu martelo de plástico, calce uns sapatos confortáveis e venha daí.

A tradição diz que se tem que passar pela Ribeira, começando pelo Lavadouro das Fontaínhas, pois é na margem do rio que se tem a melhor vista sobre o fogo de artifício à meia-noite, mas os nossos passos podem depois levar-nos até à Boavista ou à Foz do Douro. Pelo caminho faça um desvio até à Praça da República, onde vai encontrar as tradicionais vendedoras de manjericos, alho-porro e martelinhos, os primeiros para celebrar o amor e os dois últimos para bater na cabeça de estranhos e amigos. Se alguém lhe oferecer um manjerico, terá que cuidar dele com todo o carinho pois as “regras” dizem que só poderá ser substituído no ano seguinte. Esteja também atento ao céu, a ver se descobre algum dos balões de São João a voar pelos ares.

Ainda há quem acabe a noite (ou comece o dia!) com um mergulho na Foz ou Matosinhos mas é o tipo de ideia que só aconselharíamos aos mais afoitos e nunca aos novatos do São João. É noite de festa muito rija e não nos responsabilizamos por possíveis danos à vossa integridade física!

Não há festa sem o estômago cheio!

A norte a ementa é um pouco mais preenchida do que aquilo que encontramos no Santo António de Lisboa. Há muita sardinha com salada de pimentos e malgas de caldo verde, mas há também leite creme e bolo de São João, uma tradição recuperada nos últimos anos e, no dia seguinte, o almoço é feito com cabrito assado, batatas e arroz. A regar, para além do popular tinto, o Vinho do Porto também dá um pé de dança durante a noite.

Um fim de semana que não termina...

Um fim de semana que não termina…

Se vier de fora da cidade, aproveite para ficar durante o resto do fim de semana. Apesar do ritmo lento que assalta o Porto depois da folia, no sábado (24) dá-se a tradicional regata de barcos rabelos no Douro, organizada pela Confraria do Vinho do Porto, que vai desde a Foz até à Ponte Luís I, e o Palácio de Cristal recebe o Concerto do Dia de São João.

Mas o Porto nunca se esgota numa noite (ou num fim de semana sequer!) e, se já não visita a cidade há algum tempo, vai ficar agradavelmente surpreendido com a sua onda positiva cada vez mais forte. Começou o ano a ser considerado o Melhor Destino Europeu, galardão que fica mesmo bem a uma terra que consegue juntar uma arquitetura e uma paisagem “vintage” com o dinamismo das suas esplanadas de espírito jovem e fresco. Continua a ser terra onde se come muito e bem, sendo que as francesinhas são só uma pálida amostra da sua cozinha. E há sempre o Douro… Tudo o que acontece entre as margens deste rio parece ganhar uma magia especial e, se não fosse o São João, teríamos que inventar outro motivo para (re)visitar esta paisagem… tarefa fácil!