Alto Tâmega: conheça uma das mais belas regiões portuguesas

Um prazer para a vista e para o estômago! Conheça as nossas recomendações no Alto Tâmega, com passagem por Chaves, Valpaços e Vila Pouca de Aguiar.

A partir do momento em que o Tâmega entra em Portugal, monta um cenário inesquecível. É um dos mais belos rios portugueses, prosseguindo por uma série de povoações que se engalanaram para o ver passar. No Alto Tâmega formou-se uma paisagem única que traz o romantismo e o espírito bucólico para a alma da região. Acompanhámos o rio desde que passa a fronteira, passando por Chaves e pela linha onde termina o Minho, até Amarante. É viagem longa, mas com a certeza de encontrar algumas das mais belas vistas do norte e uma mesa farta. Venha daí numa rota no Alto Tâmega quase até ao Douro.

    1 Feces de Abaixo

    A pequena língua de território espanhol que entra por Trás-os-Montes e termina em Feces de Abaixo serve de via para o Caminho de Santiago. O Caminho Interior Português, proveniente de Chaves, vem dar aqui e o ambiente propicia a união entre galegos e portugueses. Mais próximos de Vila Verde da Raia do que de Verín e com Chaves a igual distância, a relação entre ambos os lados da fronteira é bastante próxima. Foi o local escolhido para a sede da Eurocidade Chaves-Verín, símbolo da afinidade entre galegos e transmontanos.

    2 Chaves

    A capital do Alto Tâmega é a primeira cidade portuguesa a receber o rio. Desde o tempo dos romanos que esta posição privilegiada joga a seu favor. Os latinos já conheciam as águas termais da região e o seu uso continua até hoje. Visite a Fonte do Povo para desfrutar de forma gratuita dos seus poderes medicinais. A Ponte de Trajano é outro dos vestígios deixados pelos romanos e ainda nos recebe para ligar as duas margens do Tâmega. Suba ainda ao alto do Castelo de Chaves para apreciar uma excelente vista sobre a cidade e o rio. A visita não pode terminar sem conhecer a gastronomia local. Do presunto aos Pastéis de Chaves, passando pelo folar e pelo cozido à transmontana, são repastos portentosos. Com o rio a passar aqui, a truta é outro dos pratos regionais.

    3 Valpaços

    Continuamos a falar de boa comida e bebida quando chegamos a Valpaços. O bom vinho local também está aqui desde o tempo dos romanos que deixaram lagares escavados na rocha. Recomenda-se a visita à Casa do Vinho, museu interativo que retrata a cultura da vinha na região. A produção agrícola é de grande nível, com a castanha e as cerejas a engalanar os campos durante o ano. Para ter a melhor vista da região dirija-se ao topo da Serra de Santa Comba, com uma paisagem que se estende de Vila Real até Castela e Leão.

    4 Vidago

    A uma curta distância de Chaves encontramos uma das mais ricas águas alcalinas do mundo. Mas não são só as propriedades medicinais desta água que fazem bem à saúde. A envolvente do famoso Vidago Palace é uma deliciosa sequência de jardins românticos e locais de descontração. A agricultura já foi largamente substituída pelos serviços e a maioria da população vive hoje da exploração das águas. Perde-se genuinidade, mas ganha-se um campo de golfe e um spa concebido por Siza Vieira.

    5 Ribeira de Pena


    O trabalho local com o linho está a cair em desuso mas Ribeira de Pena ainda preserva várias tradições. Ainda se cozinha aqui a truta do rio, assa-se cabrito e deixa-se o milho a cozer com carne para criar os “Milhos Ricos”. Ainda subsistem solares antigos e igrejas em estilo barroco, como a do São Salvador ou a de São Pedro (gótica). Em Friúme podemos conhecer o ecomuseu da Casa de Camilo, onde o autor viveu. Em Santo Aleixo de Além Tâmega podemos atravessar o rio sobre uma curiosa ponte de arame.

    6 Vila Pouca de Aguiar

    Suba ao Santuário de Nossa Senhora da Conceição para admirar o horizonte sobre a vila e o vale. A paisagem é sempre verde, com riachos e ribeiras a fluir pelas encostas da região. Aliás, parte da riqueza da terra está exatamente nas águas locais. Aqui perto fica a Barragem da Falperra, onde se praticam diversos desportos náuticos, mas também Pedras Salgadas. O Pedras Salgadas Spa & Nature Park é local de descontração e saúde e também uma base para outras aventuras. Vai ver o seu tempo recompensado com um passeio por Bornes de Aguiar, Alto do Minhéu ou Padrela. Procure também os típicos espigueiros e caniços, com os seus relógios de sol.

    7 Boticas

    Alto Tâmega: conheça uma das mais belas regiões portuguesas

    Terra de extremos, do alto da Serra das Alturas ao fundo das Covas do Barroso, Boticas é sítio para gente rija. O afamado Vinho dos Mortos é enterrado para “amadurecer” e ser servido com a boa carne da região. Vai bem com a vitela, uma posta barrosã ou com o presunto. Em termos patrimoniais, vale a pena a visita à Igreja das Covas de Barroso, à ponte romana de Pedrinha ou ao Centro de Interpretação da Cultura Castreja. O Boticas Parque preserva as espécies da fauna e flora locais e tem 60ha disponíveis para longos passeios na natureza.

    8 Amarante

    Alto Tâmega: conheça uma das mais belas regiões portuguesas

    Terminamos a nossa rota já no Douro Litoral, num concelho repleto de vestígios históricos. A cidade tem a personalidade das antigas terras do Norte. Ruas estreitas, uma ponte centenária que liga Trás-os-Montes ao Douro e foi ponto de paragem das invasões francesas. No rio vêm-se os “guigas”, antigos barcos tradicionais de Amarante e, das suas águas, temos uma perspectiva diferente sobre a localidade. Os restaurantes da região continuam a saber assar magistralmente o cabrito e a vitela. Na doçaria, experimente os doces de São Gonçalo, malandrice regional de forma fálica, e as Brisas do Tâmega. Em volta, tem ainda dólmenes, testemunhos do românico, e verde, muito verde.