Amêijoas: 10 sítios onde encontrar as melhores

Verão é sinónimo de amêijoas e de mariscadas com os amigos. Pegue numa cerveja e venha connosco à descoberta de 10 restaurantes com amêijoas fantásticas.

Há coisa melhor do que um prato de amêijoas, com cerveja ao lado, no final de uma tarde de Agosto? O povo conta que só se deve comer marisco nos meses com a letra “R” no nome. Segundo essa lógica, Março e Setembro são alturas seguras, Julho e Agosto não. E como é que fica então o nosso verão? Vamos deixar o estômago a penar à espera de uma simples data de calendário? Claro que não! O povo é sábio mas nem sempre tem razão e nós queremos a nossa dose de amêijoas agora! Veja connosco uma dezena de restaurantes onde se prova que amêijoas são para qualquer mês do ano.

O ensinamento popular dos “erres” como forma de determinar a segurança do marisco já deixou de ter validade. É verdade que é durante os meses de maior calor que mais facilmente poderão ocorrer fenómenos de toxicidades das águas. Em Maio, Junho, Julho e Agosto há uma maior propensão para o aparecimento de algas tóxicas, devido à menor oxigenação da água. Contudo, a apanha e produção de amêijoa profissionalizaram-se e há maior controlo sobre a sua qualidade. As autoridades examinam constantemente a qualidade das águas portuguesas e alertam quando o nível de microalgas se torna perigoso. Nessas alturas poderá haver a interdição da apanha, mas é um fenómeno com tendência a tornar-se raro. Evite as amêijoas de origem selvagem, apanhadas sem controlo, e não deverá ter problemas.

Prato bem recebido em qualquer lado, independentemente do local ou da riqueza da mesa, os portugueses não têm por hábito variar muito nas amêijoas. Gostamos delas principalmente de duas formas: ao natural e à Bulhão Pato, com algumas variações locais onde se muda a quantidade de alho, cebola, colorau, pimenta e coentros. Quando são gordas e frescas não precisam de muito, apenas do nosso apetite. Fazem ainda parte de um casamento invulgar com a Carne de Porco à Alentejana, assinando assim um manifesto gastronómico sobre a diversidade. Está a ficar com apetite? É altura de conhecer 10 locais onde vai encontrar excelentes amêijoas, pegar no carro e usar o estômago como desculpa para um passeio pelo país.

Amêijoas: 10 sítios onde encontrar as melhores

Camelo da Apúlia, Esposende

Perto da praia com o mesmo nome, o Camelo especializou-se no peixe mas recebe-nos na entrada com excelentes amêijoas à bulhão pato. Vale ainda como cartão de visita, a excelente vista para o mar, engalanada pelos moinhos locais.

Casa de Chá da Boa Nova, Leça da Palmeira

Este restaurante merece a visita de qualquer um, apaixonado ou não pelo marisco. Com o bom gosto que resulta da escolha do arquitecto Siza Vieira, tem uma vista de mar inesquecível. O que sai da cozinha está ao mesmo nível, com mariscos a chegar dos viveiros próprios e a amêijoa a ser servida à bulhão pato ou com alho.

Forte de Santa Catarina, Figueira da Foz

Rodízio de marisco variado, arroz de lagosta, robalos e pregados saboroso com a certeza que se não há produto mais fresco é porque ainda não foi pescado. Fica no clube de ténis da Figueira e tem um terraço ótimo para um desporto mais a condizer, como devorar amêijoas enquanto o sol se põe.

Estelas, Peniche

Uma das mais afamadas linhas de costa portuguesas, tem também marisco de respeito. Da famosa lagosta suada à moda de Peniche às santolas, o Estelas serve tudo com primor e um toque caseiro. O Sequinho de Robalo é outro ex-libris da casa, enquanto as amêijoas são servidas à bulhão pato.

Azenhas do Mar, Sintra

As Azenhas serão sempre um excelente motivo para um passeio http://quilometrosquecontam.com/praia-macas-azenha-mar/ mas quando o destino é o restaurante com o mesmo nome, dá vontade de pisar o acelerador. Sobre o mar, com o enquadramento da praia e da falésia, não há muitos lugares em que o sabor a mar seja tão apurado. Os percebes e as ostras são fantásticas, mas as amêijoas apetecem até levar para casa.

Pinóquio, Lisboa

Se é verdade que é ao lado do mar que encontramos as melhores marisqueiras, o Pinóquio é a excepção que confirma a regra. É um dos poucos desta lista que não tem vista para a linha de água, mas isso não impede que tenha olho para o marisco. As amêijoas chegam aqui vindas da Ria Formosa, inundadas na quantidade certa de alho e coentros.

Tasca do Domingos, Aldeia do Meco

Calções, chinelos e espírito descontraído. O cliente que vai ao Domingos tem que esperar de pé, serve-se a si próprio e depois tem que limpar a mesa. É uma espécie de self-service que nos põe a todos à vontade e é compensado pela qualidade do marisco aqui servido. Além das amêijoas, as conquilhas são imperdíveis.

Mariqueira Jaime, Évora

No interior alentejano também há apreciadores de marisco e podem matar o vício no Jaime. O peixe, lavagantes, sapateiras e santolas são de boa qualidade, mas a nossa recomendação invariável são os pratos de bivalves como entrada, berbigão e amêijoas a liderar.

O Josué, Almograve

As rochas da costa Vicentina são terreno fértil para todos os pequenos bivalves que ali se agarram. Os percebes locais e o mexilhão são fantásticos e apresentam-se com esmero no Josué. Depois de devorar as amêijoas à bulhão pato, a nossa recomendação vai para o sargo grelhado.

Marisqueira Rui, Silves

Esta é uma das mais conhecidas e concorridas casas do Algarve, mas ainda está longe de “industrializar” a sua arte. Há mais de 30 anos que se especializa em gambas, santolas, lagostas e, claro está, amêijoas, trazendo uma série de forasteiros para esta zona do interior algarvio. Quem disse que para encontrar bom marisco é preciso estar ao lado do mar?