Livrarias e bibliotecas em Portugal: 5 locais de sonho

De norte a sul de Portugal, fomos à descoberta de 5 locais que os apaixonados dos livros não podem perder, livrarias e bibliotecas que seduzem qualquer um.

Se é verdade que os portugueses não leem tanto quanto deveriam, também é verdade que temos uma longa tradição de respeito para com os livros, um rol de autores que nos orgulha e algumas das mais belas livrarias e bibliotecas do mundo. Alguns escondidos, outros exibidos com muito orgulho, não faltam em Portugal locais onde a literatura é apresentada com as devidas honras.

Mafra

Não somos só nos que o dizemos: a propósito do dia mundial do livro de 2017, o muito reputado The Telegraph fez o seu top das mais espetaculares bibliotecas em todo o mundo e incluiu dois exemplos em Portugal. Mas os destaques não se ficam só por aqui, temos ainda duas livrarias com presença garantida em qualquer lista que inclua as mais importantes do mundo e é possível viajar em Portugal, de lés a lés, à procura de livros e dos seus cenários. Para ajudar o viajante bibliófilo, apresentamos, de norte a sul, o nosso Top 5 dos Destinos Literários em Portugal.

Porto

Não podemos fazer nenhuma tour bibliófila em Portugal sem uma visita à centenária Lello & Irmão, na Rua das Carmelitas. A antiga livraria serviu de inspiração a J.K. Rowling em Harry Potter e está hoje repleta de turistas a todas as horas, mas vale a pena a aventura de nos deixarmos ir com os estrangeiros, pois os vidrais, as escadarias e o jogo de luzes são verdadeiramente fantásticos. Está neste local deste 1906 e já passou por diferentes donos e remodelações, mas continua a ostentar uma fachada memorável e a parecer uma viagem no tempo.

bibliotecas-rotas

Coimbra

Fazemos a segunda paragem da nossa rota em Coimbra, mais concretamente no Pátio das Escolas da Universidade. É aqui que encontraremos a Biblioteca Joanina, com o seu ar rococó inconfundível, reconhecida como uma das bibliotecas barrocas mais bonitas do mundo. De facto, para o The Telegraph britânico, estamos perante a mais espetacular biblioteca do mundo. O seu nobre portal barroco lembra ainda o construtor original, o generoso D. João V, que ordenou a construção de três salas comunicadas em arco de motivos chineses. Nas “entranhas” desta biblioteca encontramos uma coleção com mais de 70.000 livros, incluindo uma vasta coleção de livros anteriores ao séc XIX.

Mafra

A Biblioteca do Palácio Nacional de Mafra é um autêntico tesouro que junta quase 40.000 livros num espólio de importância capital e alto valor patrimonial, sendo a maioria dos livros encadernações em couro enfeitadas com gravações a ouro. Podemos encontrar aqui uma segunda edição de Os Lusíadas de Camões, livros de história, matemática, medicina ou geografia, únicos e de grande importância histórica. Mas é a beleza do local, mais do que o seu conteúdo, que seduz os sentidos: o seu chão em mármore e estantes rococós parecem tirados de um conto do século XIX. Há muitos anos que se conta que à noite são soltos morcegos para comer os insetos que, caso contrário, atacariam os livros, mas tal como no caso dos ratos, é apenas um mito.

Lisboa (I)

Um ex-líbris das bibliotecas nacionais, a Biblioteca da Academia das Ciências de Lisboa, tem uma das mais importantes coleções do nosso país, com 3000 manuscritos portugueses, árabes, hebraicos e espanhóis, entre os séculos XIV e XVII. Mas a imponência do acervo tem como habitação um verdadeiro monumento: parte da biblioteca está instalada num imponente salão onde a decoração das estantes, o conjunto de pinturas, a mesa da Presidência, de madeira trabalhada, e o friso de bustos de personalidades notáveis, tornam o espaço único. Perto do Bairro Alto, o espaço está aberto ao público de leitores e investigadores, mas há também visitas guiadas com marcação prévia.

Lisboa (II)

Tendo começado o nosso roteiro por uma livraria, e depois de ganhar apetite para a leitura com algumas das bibliotecas mais belas, nada mais adequado do que terminar numa outra livraria a matar este sede de livros. Na Rua Garrett, a Livraria Bertrand, é a mais antiga do mundo e a sua fundação data de 1732, pelos mãos dos irmãos João e Martinho Bertrand. Acolheu reuniões e tertúlias dos nomes mais importantes das letras portuguesas, que passavam horas aqui em conversas, Alexandre Herculano, Eça de Queiroz, Antero de Quental… Apesar de não ter a espetacularidade dos exemplos anteriores, merece a inclusão nesta lista devido ao seu historial de quase 300 anos e à forma como continua a ser parte fundamental da vida de Lisboa. Enquanto muitas das suas homólogas fecham com a pressão das grandes superfícies, a Bertrand continua viva, moderna e é difícil entrar só para uma visita e não sair sem um ou dois livros debaixo do braço.