Carregar o telemóvel no carro: porque não se deve fazer?

Porque não deve carregar o telemóvel no carro? Porque o deve afastar do para-brisas? Saiba como prolongar a vida do dispositivo e evitar acidentes.

Sabia que, em geral, não deve carregar o telemóvel no carro? E sabe porquê? Não é a melhor opção para si nem para o dispositivo, nem mesmo para o carro. Pode no entanto fazê-lo em segurança. A Goodyear explica-lhe como.

Sabemos que o telemóvel pode ser um excelente co-piloto. Com GPS e sistemas de mãos-livres, é possível utilizar o equipamento em segurança, sem infringir a lei. No entanto, tenha atenção, não deixa de ser uma distracção. Por isso, antes de mais, evite usá-lo. Mas se tiver de ser, eis algumas dicas.

Evite carregar o telefone no carro

Carregar o telemóvel na porta USB do sistema multimédia do nosso veículo é ineficaz e prejudica o desempenho do dispositivo. Por um lado é mais lento do que quando ligado à corrente elétrica doméstica. Em causa está o desequilíbrio entre a potência das portas USB no automóvel (tipicamente 0,5 amperes) e a potência que os telemóveis suportam (1 – 2,4 amperes). Pode inclusivamente dar-se o caso de estar a utilizar o telemóvel, enquanto está a carregar e o estado da bateria diminuir em vez de aumentar. Naturalmente, reduz menos do que se não estivesse ligado, mas não irá conseguir completar a carga.

Sendo assim, há duas soluções possíveis. Em primeiro lugar, pode usar um adaptador para o isqueiro do veículo. Há modelos de carga rápida, cuja potência é maior do que qualquer porta USB, e permite um carregamento mais eficiente. A segunda solução é carregar a bateria antes de entrar no carro. Afinal, é uma segurança em caso de avaria ou acidente poder ter a certeza de que pode utilizar o dispositivo.

Também pode prejudicar a bateria do automóvel

Além disso, se carregar o telemóvel com o carro desligado, está a gastar a energia armazenada na bateria do veículo. Pode estar a prejudica-la e poderá sair-lhe caro no mecânico ou na assistência em viagem para lhe carregar a bateria. Pelo menos, terá o telemóvel carregado para fazer essa chamada.

Atenção que deixar o carregador ligado ao carro irá igualmente consumir energia do seu automóvel, embora menos do que se estivesse a recarregar o dispositivo móvel. Caso o veículo esteja em funcionamento, com a bateria e o alternador afinados, não irá ter qualquer destes problemas.

 Carregar telemóvel

Afaste o telemóvel do para-brisas

Os telemóveis têm tendência para aquecer. Isso é ainda mais notório quando estão a ser utilizadas funcionalidades exigentes, como o GPS, ou quando são carregados. Sendo assim, porque o coloca junto ao para-brisas? Para aquecer mais ainda?

A solução é colocar o telemóvel junto às saídas de ar centrais do veículo. Naturalmente, se estivermos no inverno e tiver ligado o ar quente, a recomendação é precisamente a oposta. Nesse caso não coloque o telemóvel junto às saídas de ar centrais do carro. Uma recomendação adicional nesta matéria. Não deixe o telemóvel dentro do carro, em especial no verão. Por um lado pode ser um chamariz para os “amigos do alheio”, por outro pode mesmo avariar de vez com as elevadas temperaturas que o interior de um carro atinge quando está ao Sol.

Equipe o telemóvel com película anti-reflexo

Quando utiliza o seu smartphone como GPS, a visibilidade poderá ser reduzida pelos reflexos em dias de Sol. Pode aumentar o brilho do visor, mas nesse caso irá, por um lado, gastar mais rapidamente a bateria e, por outro lado, sobreaquecer o equipamento. Existem no mercado películas anti-reflexo que ajudam a ver melhor os mapas e evitar situações perigosas em que seja necessário mexer no telemóvel.

Torne o sistema operativo um aliado

Com as aplicações Android Auto ou Apple Car Play, ou os próprios assistentes Ok Google ou Siri, poderá tirar partido do equipamento para enviar mensagens ou para ouvir as músicas armazenadas. Para assegurar que essas aplicações funcionam altere as definições dos smartphones para que o ecrã se mantenha ligado e os assistentes disponíveis.

Já sabe: use power banks de confiança, aprenda a conviver com distrações e o telemóvel no carro não precisa de ser um problema de segurança