E vão 3! Porto volta a ser o melhor destino europeu

O Porto está na moda e é motivo de atenção pelos turistas de toda a europa, ano após ano. A Goodyear foi descobrir 7 motivos que os trazem à cidade.

A competição era de elevado gabarito, mas o Porto ficou à frente de Milão, em Itália, ou Gdansk, na Polónia, na competição para a escolha do Melhor Destino Europeu de 2017. A lista tinha um total de 20 destinos a concurso, incluiu os votos de viajantes de 174 países do mundo e, ao contrário do que é normal nestes casos em que o país maior consegue facilmente obter os números para ganhar, o Porto obteve a maioria das suas escolhas entre turistas estrangeiros. Ou seja, por muito orgulho que tenhamos da nossa “Invicta”, quem a visita também se apaixona e não a esquece tão depressa.

O Porto é excecional de muitas formas diferentes e, na apresentação do vencedor, a organização do concurso salientou a “sua História, arquitectura, cultura, gastronomia, comércio, encontros e descobertas que o irão seduzir”, mas não se fica por aqui. A lista de argumentos é muito mais extensa do que isto e mesmo que não traga novidades para quem conhece bem a cidade, é um roteiro muito completo para o forasteiro que escolhe o Porto para uma escapadela de fim de semana. Vamos então conhecer as razões que fizeram com que 138 mil pessoas a escolhessem como Melhor Destino Europeu pelo terceiro ano.

“Amazing Landscapes – Paisagens fantásticas” (pt. 1)

O forasteiro que chega ao Porto é primeiro surpreendido pela força do panorama que, neste caso, é tão pujante visto de baixo como de cima (voltaremos a este tema mais tarde). Os passeios de barco pelo Douro são “uma das mais belas actividades que o Porto tem para lhe oferecer” e será difícil discordar. O Percurso das Seis Pontes já foi destaque aqui no Quilómetros Que Contam e voltaríamos a recomendá-lo incondicionalmente para quem quer conhecer a paisagem que vai dos Jardins do Palácio de Cristal, passando pelo Solar do Vinho do Porto, o Hospital de Santo António e terminando na Foz do Douro, já com vista para o Atlântico.

“The sumptuously cool Palacio da Bolsa – O sumptuosamente cool Palácio da Bolsa”

No seu estilo neoclássico, o Palácio da Bolsa é memorável quando visto de fora e verdadeiramente impressionante quando conhecido por dentro. “Se não poder ver mais nada, visite pelo menos a Sala Árabe, inspirada no Alhambra”, recomendam, mas nós iríamos mais longe porque não é difícil encontrar outros motivos de interesse como as salas do Telégrafo e do Tribunal, o Pátio das Nações ou a Escadaria Nobre.

Edifícios notáveis

“Remarkable buildings – Edifícios notáveis”

O património edificado do Porto é riquíssimo e com tantos e tão interessantes pormenores que qualquer lista seria sempre uma crua aproximação. A organização do EBD destaca a austera Sé Catedral e a vista 360 que permite sobre a cidade, a Torre dos Clérigos e a claustrofóbica escadaria que nos leva até ao topo, ou a muito mais moderna Casa da Música, sempre plena de propostas culturais.

“One of the most beautiful railway station in Europe – Uma das mais belas estações de comboio da Europa”

Quem chega de fora da cidade conhecerá mais facilmente a Campanhã, mas a Estação de São Bento é uma preciosidade que merece ser visitada, nem que seja só para fazer viajar a vista pelos seus conjuntos de azulejos ilustrativos com cenas históricas do norte do país. “Uma verdadeira obra prima”, que se complementa com a monumental fachada de influência francesa, a meio caminho entre o Renascimento e a Belle Époque.

“WOW, look at that! – Uau, vejam isto!”

Para quem já conhece, a reação não é de todo inesperada. A Livraria Lello é um espaço sem igual e não é surpresa também quando nos contam que foi inspiração para a biblioteca de Hogwarts nos livros de Harry Potter. Hoje em dia está sempre apinhada de turistas, o que obriga a um pagamento prévio de 3 euros que pode ser abatido em compras efetuadas durante a visita, mas não é por isso que perdeu a sua magia ou deixou de ser uma das mais belas lojas que alguma vez vimos na vida. Também impressionante, o Majestic foi pouso habitual de J.K. Rowling na sua passagem de alguns alguns anos pela cidade e não é difícil perceber porquê: o ritual do café precisa de um espaço à altura e o Majestic cumpre a rigor.

A alma do Porto

“The soul of Oporto – A alma do Porto”

A “Ribeira e Miragaia são a alma do Porto”, com as suas ruas irregulares e edifícios encavalitados ao longo da colina. Aqui, os forasteiros enamoram-se pela vista da Ponte Luís I e pelos restaurantes e esplanadas locais, mas as centenárias vias da cidade guardam muito mais para descobrir. Para isso, o EBD recomenda os velhos elétricos para ter um contacto com a vida dos locais e evitar as várias subidas da cidade. O 22, o 18, com direito a paragem nos Jardins do Palácio de Cristal, ou o 1, na direção da Foz estão “cheios de romance e são uma grande forma de descobrir, de passagem, o Solar do Vinho do Porto, o Museu do Carro Elétrico e alguns esplêndidos edifícios e paisagens.”

“Amazing Landscapes – Paisagens fantásticas” (pt. 2)

A paisagem foi a primeira coisa que impressionou o visitante mas, depois de a conhecermos a partir das águas do Douro, vamos despedir-nos da cidade a partir de cima. Este tema precisa de atenção especial e até preparámos um guia dos melhores terraços e esplanadas do Porto para acompanhar as recomendações do EBD. A organização destaca o Miradouro da Serra do Pilar, convento do século XVI com uma “vista de tirar a respiração” sobre a Sé e o estuário do Douro, ou o Miradouro da Victória que é o ponto a partir do qual é possível ver “toda a vida do Porto de uma só vez!”