Reparação de pneus: em que casos e como?

Foi surpreendido por um pneu em baixo ao chegar ao carro? A reparação de pneus é possível e é a solução mais económica em vários casos. Nós contamos quais.

Os pneus modernos oferecem cada vez mais quilometragem e eficácia mas não são eternos. Por muito cuidado que tenhamos com a sua conservação, é na estrada que estão sujeitos às maiores agressões. Com golpes em bermas, objetos perfurantes e outros agressores, um pneu vazio é uma inevitabilidade na vida de qualquer condutor. Depois de o trocar pelo suplente, o que fazer com um pneu furado? Como repará-lo? A Goodyear, especialista no tema, explica-lhe.

Tem um pneu vazio na bagageira e não sabe o que fazer com ele? Identificou um furo lento? Por vezes, uma simples inspeção visual é tudo o que basta para desfazer dúvidas e encontrar um prego na borracha. Outra solução é pulverizar uma solução de água e sabão sobre a superfície do pneu. No local onde se formarem bolhas vai estar o problema.
Em qualquer caso, a condução nesta circunstância irá resultar em problemas de segurança e um dano cada vez maior. A humidade irá penetrar o interior e, depois de atingir os cabos de aço, provocar ferrugem. Sem a pressão do ar para lhe dar forma, as paredes laterais ficarão esmagadas entre a jante e a estrada, acelerando a sua degradação. Aquilo que começa com um problema menor, pode resultar na completa destruição da peça. Como solução temporária, encontra no mercado latas de spray de enchimento e reparação. Apesar de muito práticos, não são uma solução definitiva e essa obriga a efetuar um remendo.

Casos que podem ser reparados

Depois de identificar o problema, você vai querer saber se obriga à substituição do pneu ou há possibilidade de conserto. A maioria dos condutores não tem os conhecimentos para efetuar sozinho uma reparação destas, o apoio especializado é essencial. Como de costume, evite as oficinas que lhe oferecem soluções milagrosas por preços irrisórios. Uma reparação executada de forma incorreta corre o risco de falhar subitamente a altas velocidades. Num agente de confiança poderão verificar se há possibilidade de correção ou se é necessária a substituição total.

Desde que estejam limitados ao piso, a parte central do pneu, a maioria dos furos de até cerca de 0,5 cms podem ser reparados. Cortes e golpes, pela sua natureza, não devem ser reparados. No ombro e paredes do pneu a coisa é mais complicada e recomenda-se a substituição total. É a parede do pneu que suporta a maioria da carga durante a condução e qualquer reparação diminuirá a sua integridade estrutural. É também a zona mais sujeita a flexões, o que dificulta a aderência de um remendo. A condição geral do pneu também deve ser tomada em consideração. O padrão já está próximo do mínimo legal (verifique as barras de desgaste)? Verifica-se que é irregular (sinal de outros problemas)? Tem sinais de uma reparação anterior de má qualidade? Há cabos expostos? Para além do orifício, outros fatores poderão obrigar a trocar de pneu.

Reparação de pneus: em que casos e como?

A ajuda de um especialista

Apesar da eficácia para nos salvar de furos, os runflat não podem ser reparados. Este tipo de pneus tem paredes reforçadas que mantêm a forma mesmo sem pressão de ar. Contudo, depois de serem chamados à ação com um furo, não é possível determinar o estado em que ficam essas mesmas paredes. São muito cómodos e seguros para nos fazer chegar à oficina depois de um furo, mas não se aconselha a sua reparação.

Se a melhor opção for a reparação, o seu mecânico não deverá precisar de muito mais do que 30 minutos para a efetuar. O pneu será removido da roda e o interior inspecionado à procura de mais furos e danos ocultos. Depois de extrair o objecto perfurante, o interior é limpo, polido, e é aplicado o remendo de forma a recuperar a estanquidade. A introdução de uma câmara de ar é uma solução que não aconselhamos para os pneus tubeless de hoje em dia.