Restaurantes de Carne no Ribatejo: da lezíria ao prato

Escolhemos 7 restaurantes com a melhor carne no Ribatejo e descobrimos que poucos sabem cozinhá-la tão bem como os campinos. Venha conhecê-los!

A carne no Ribatejo tem direito a honras muito especiais. Os restaurantes, tascos e tasquinhas da região são pródigos em monumentos gastronómicos mas, quando toca à carne, a fasquia eleva-se. Há peixe de rio e doçaria com o melhor das tradições conventual e popular, mas é de pecado que falamos. Agarre no carro para um passeio na lezíria e venha conhecer 7 restaurantes com o melhor da carne no Ribatejo.

Rasgada pelo Tejo, o Ribatejo muito cedo ganhou fama na qualidade da sua carne. Ao lado da tradição tauromáquica, desenvolveu-se a Raça Brava de Lide que originou a Carne de Bravo do Ribatejo DOP. De origem protegida e de uma cor vermelha e sabor intensos é um dos exemplos como os ribatejanos desenvolveram a sua arte. Mas não se ficam por aqui: do porco à raça barrosã, aprenderam a cozinhar a carne com esmero e, acima de tudo, a escolhê-la. Mesmo quando a carne não é de origem local, nas cozinhas dos restaurantes da região há quem tenha olho para o que é bom.

7 restaurantes com o melhor da carne no Ribatejo

1. 150 Gramas, Vila Franca de Xira

Apesar de moderno (abriu em 2015), o espaço recupera o ambiente descontraído da taberna portuguesa. Pensado para servir-nos uma sucessão de sabores em aperitivo, há propostas mais substanciais como o naco de vazia na tábua ou o rosbife com batata doce salteada.

2. O Malho, Alcanena

É uma das capelinhas de Alcanena, trazendo fiéis à terra já há muitos anos. Chegam para prestar homenagem ao boi com vinho tinto ou ao churrasco da matança com mangusto. Há ainda galinha de cabidela e caldeirada da cabrito. O arroz de míscaros e os cogumelos salteados são, conforme a altura do ano, propostas incontornáveis. Tem ainda uma excelente seleção de pratos de peixe.

3. Cisco, Almeirim

Alexandre Albergaria participou no concurso de TV Guerra dos Pratos e, depois da experiência, lançou o seu próprio restaurante. Especializou-se na confeção dos produtos locais e a gastronomia de Almeirim ficou bem entregue. Há galo do campo em cabidela, queixadas e bochechas de porco e dobrada. O bolo de chocolate à sobremesa é a cereja em cima deste chorrilho de pecados.

4. Santa Isabel, Abrantes

Este espaço localiza-se no centro histórico de Abrantes, numa casa antiga tipicamente ribatejana com três salas de refeições. Nessas salas os clientes podem saborear pratos típicos, com influências do Ribatejo, Beiras e Alentejo. De sabor caseiro, destacam-se especialidades como o coelho na abóbora, o cabrito assado e o churrasquinho de porco preto com migas de alheira. Mesmo que a despropósito num texto sobre carne, recomendam-se os pratos de peixe de rio como sável, achigã e lampreia.

5. Taberna Ó Balcão, Santarém

O espírito descontraído, baseado numa extensa carta de petiscos, não é obstáculo: trata-se a carne com todo o cuidado e respeito. Presunto, barriga de porco, croquetes de touro, bochecha de vitela, passarinhos fritos, são alguns exemplos irrecusáveis. Depois das tapas, se ainda tiver espaço, atire-se a um bife da vazia, de corte e confeção impecáveis.

6. Taverna Antiqua, Tomar

Aqui recriam‐se os tempos dos senhores feudais com uma refeição de cariz medieval. Baseado no poucos registos deixados, desenvolve-se uma recreação do que seria a experiência à mesa naquela época. Mas, para lá de todo o mise en scène à luz de velas, a carta é saborosa e bem servida. Bem adequados ao cenário, recomenda-se a empada de caça, o pernil de porco com castanhas, o borrego ou o coelho à caçador.

7. Papa-Figos, Torres Novas

O Papa-Figos baseia-se em produtos e aromas regionais como o figo e a amêndoa para um toque especial na carta. Mas, antes de chegar à sobremesa há um extenso leque de opções de carne que obrigam a parar e a pensar. Entre os medalhões, lombinhos e bifes vários, recomendamos o famoso Bife à Vitor Pinto e o Magret de Pato. Com companhia, a cataplana de carne e marisco é a opção para duas pessoas.