À descoberta da inspiração dos escritores do Norte

A rota dos escritores do Norte é um conjunto de propostas originais para conhecer uma da região mais bela do país. Conheça os nossos destaques.

Conhece as paisagens que inspiraram muitos dos grandes escritores do norte? Os cenários deste magnífico país em que vivemos são sempre um convite para pegar no carro e partir à descoberta, mas são também uma fonte de inspiração para todos os grandes nomes da literatura portuguesa. O turismo em torno da natureza, gastronomia e do nosso património monumental há muito que motiva muitos e bons passeios mas, depois de explorado este filão, tanto turistas como agentes turísticos procuram incessantemente a próxima justificação para nos fazer regressar à estrada. Venha connosco à descoberta dos locais de nascimento de alguns dos mais conhecidos escritores do norte.

Consciente do cada vez maior interesse que o turismo literário desperta em nacionais e estrangeiros, a Direção Regional de Cultura do Norte reuniu uma série dos seus espaços dedicados aos autores nacionais e desenvolveu o projeto Escritores a Norte, um conjunto de destinos, rotas e materiais com o objetivo de dinamizar o território ao mesmo tempo que educa os visitantes.

As unidades principais desta rede são as casas-museu e coleções associadas, estando incluídos nomes fundamentais da nossa literatura como Miguel Torga, José Régio, Camilo Castelo-Branco, Aquilino Ribeiro, Ferreira de Castro, Eça de Queirós e Guerra Junqueiro, mas o passeio não se resume à visita a exposições. Ao andarmos na estrada, a saltitar entre casas-museu, encontramos também as paisagens que marcaram os imaginários destes autores, os montes que seduziram Torga ou a Tormes que foi inspiração para Queiroz. Conheça de seguida os nossos destaques e aventure-se na condução à descoberta dos roteiros das letras nortenhas.

Casa de Camilo, Seide

Foi em São Miguel de Seide que Camilo Castelo-Branco passou grande parte das últimas 3 décadas da sua vida, escreveu a maioria das suas obras e onde se suicidou em 1890. A mansão que ocupou com Ana Plácido, companheira e esposa nos últimos dois anos de vida, foi já alvo de várias recuperações, remodelações e expansões, tendo a última intervenção resultado num espaço moderno mas respeitoso com a assinatura de Siza Vieira. Podemos ver aqui mobiliário que pertenceu a Camilo Castelo Branco, utensílios de uso pessoal, mais de 5000 volumes de bibliografia do escritor e sobre ele, 787 obras pertencentes à sua biblioteca particular, cerca de 1900 cartas, milhares de recortes de imprensa, periódicos em que colaborou, esculturas, pinturas e provas fotográficas…

Camilo Castelo Branco

Casa de Miguel Torga, São Martinho de Anta

São Martinho de Anta é o local onde nasceu e repousa Adolfo Correia da Rocha, homem que nos habituamos a chamar Miguel Torga, e a casa de nascimento a que volta tantas vezes ao longo da sua vida e obra é hoje um espaço de memória mas não é o único nesta terra do concelho de Sabrosa. Nesta antiga casa de arquitetura popular há três núcleos expositivos, podemos visitar a principal sala da casa onde se conserva todo o mobiliário e decoração utilizados pelo autor e o jardim. No verão de 2016 foi inaugurado o Espaço Miguel Torga, resultado de um projecto do multi-premiado Eduardo Souto Moura, que celebra a memória do escritor. O edifício é uma moderna estrutura que, apesar do betão armado, integra-se perfeitamente na paisagem e encheria o escritor de orgulho, não por ser a si dedicado, mas por salientar tão bem a beleza da sua terra.

Casa Museu Guerra Junqueiro, Porto

A coleção deste espaço dedicado a Guerra Junqueiro resulta da doação da família do poeta e reúne peças de arte nacional e estrangeira entre o séc. XV e XIX. Está instalado num edifício histórico do séc. XVIII e, ao contrário de outros espaços da mesma rede em que o principal enfoque é a obra literária dos autores que são o tema de cada exposição, aqui temos uma perspetiva um pouco diferente sobre a personalidade de Guerra Junqueiro, como a do homem que viajava, almoçava com imperadores e tinha uma fixação por antiguidades que o levava a calcorrear toda a raia em busca de bons negócios.

Fundação Aquilino Ribeiro, Soutosa

Aos 10 anos de idade, Aquilino Ribeiro mudou-se para uma pequena aldeia de Moimenta da Beira, local que mais tarde aparece como refúgio ao longo da sua vida. Em Soutosa há hoje uma Casa-Museu dedicada pela família ao escritor e, dispersos pela quinta, encontramos ainda uma biblioteca com cerca de 8000 volumes, a Casa do Aldeão que é uma reconstituição fiel de um espaço doméstico de finais do século XIX, um extenso Jardim, um pátio interior e anexos de lavoura. Aqui estão expostos centenas de objetos pessoais do escritor, entre, livros, postais e fotografias. As Memórias de Aquilino Ribeiro estão guardadas na casa onde escreveu algumas das suas obras e a visita a este espaço ajudará a compreender o mundo retratado pelo mestre e, quem sabe, despertar a curiosidade de ler ou reler algumas das suas obras.

Centro de Documentação José Régio

Em Vila do Conde a casa que já foi morada de José Régio é hoje um espaço que nos quer mostrar uma parte da intimidade do autor, mantendo-se com as áreas funcionais que ele habitava quase intocadas. O único espaço criado após a morte do escritor em 1969 foi a sala de pintura moderna, mas abundam as peças de arte de origem popular e sacra que colecionou ao longo da sua vida. O escritório, o quarto, local onde faleceu, a sala de jantar e o jardim serão as áreas fundamentais desta casa, que refletem fielmente a personalidade desta grande figura das letras portuguesas do século XX. Vale a pena também um passeio demorado pelo jardim que envolve a casa e pelo mirante que o pai do escritor mandou construir em 1913.

Vila do Conde

Fundação Eça de Queiroz, Tormes

Em “A Cidade e as Serrras”, as ruínas da velha casa de Tormes são relatadas como um símbolo da ação voraz dos séculos mas a verdade é que está de pé e de boa saúde. Aqui, perto de Baião, na companhia dos vales cavados pelo Douro existe hoje um importante núcleo museológico dedicado à vida e obra de Eça de Queiroz, com um programa de atividades muito diversificado ao longo do ano, com temas que vão da gastronomia queirosiana a concertos. Com uma excelente panorâmica sobre o Douro, além do seu espólio expositivo, tem ainda uma adega onde se fabrica o vinho regional e disponibiliza duas casas para turismo rural.