Santa Maria de braços abertos no Atlântico

Descubra a ilha de Santa Maria, a mais solarenga e menos húmida dos Açores. Convidativa em qualquer altura do ano, conheça as nossas recomendações.

Simultaneamente rude, pujante e acolhedora, Santa Maria, é um paraíso à sua espera nos Açores. Tem o clima mais ameno das 9 ilhas mas mantém a face rude de quem nasceu no meio do Atlântico. Venha connosco descobrir alguns dos locais mágicos que Santa Maria esconde.

As nove ilhas dos Açores são nove universos distintos, cada um deles com algo único a destacar. Na imensidão azul do Atlântico, a natureza oferece-nos estas ilhas que vemos aparecer no horizonte a receber a nossa chegada. A situação da ilha resulta num clima quente e menos húmido e explica que seja conhecida como Ilha do Sol. Com águas mornas e um clima ameno, Santa Maria vive do cultivo de vinhedos que se estendem dos montes até ao mar.

Ilha de piratas e vestígios geológicos

Chegamos à ilha que foi a primeira a ser povoada na história dos Açores depois de descoberta pelos navegadores portugueses. É também a mais antiga do ponto de vista geológico, como testemunham as suas rochas vulcânicas. Em Pedreira do Campo encontramos vestígios desta longa história no basalto que atinge 100 metros de altitude. No seu interior, um grande número de fósseis de organismos marinhos atesta que Santa Maria esteve submersas há alguns milhares de anos. Para perceber essa época e os seus fenómenos, recomenda-se a visita ao Centro de Interpretação Ambiental Dalberto Pombo. Estão aqui expostos fósseis marinhos, as aves migratórias que passam na ilha e os insetos locais.

É em Vila do Porto, a mais antiga povoação açoriana, que está situado o aeroporto por onde chegam os forasteiros. Restos e vestígios da velha vila colonial surgem nas fachadas e complementos arquitetónicos de muitas casas. Visite a Igreja Matriz da Nossa Senhora da Assunção, uma das mais antigas do arquipélago. No Castelo de São Brás, junto à Ermida da Nossa Senhora da Conceição, encontramos um edifício de alto valor histórico que protegia o ancoradouro contra os piratas e os corsários que no tempo da sua construção atacavam frequentemente. Os Açores, como as Caraíbas, foram local bem conhecido na história da pirataria. Até Cristóvão Colombo passou aqui uma temporada preso, depois de identificado como um corsário. Na aldeia de Anjos encontramos também uma estátua do explorador que, no regresso da América, celebrou aqui uma missa.

Miradouros e praias a norte

No norte da ilha, o Barreiro da Faneca, também conhecido por “Deserto Vermelho”, é uma curiosidade que merece ser visitada. De origem vulcânica, é uma zona deserta em de tons vermelhos e laranja, tal como indica o nome. Devido ao clima da ilha, os materiais expelidos do interior da terra acabam por transformar-se em argila vermelha.

A leste, a ilha apresenta um relevo mais bruto e encontramos o Pico Alto, um miradouro excecional sobre a ilha que, com 590 metros de altitude oferece uma das melhores panorâmicas dos Açores. Um vislumbre desta paisagem num dia de poucas nuvens é uma memória inesquecível.

Baías cultivadas

Perto, na freguesia de Santo Espírito, vale a pena conhecer a Igreja da Nossa Senhora da Purificação e o Museu de Santa Maria, construido numa típica casa rural dos Açores. Nela poderemos conhecer alguns dos aspetos da vida tradicional no arquipélago e elementos clássicos da sua arquitetura popular.

O encontro com o mar tem que ter São Lourenço como destino. Uma baía de exuberante beleza natural que sobe, em forma de anfiteatro, pelos montes em volta onde é cultivada a vinha em terraços murados. A baía acolhe uma praia de branca areia e umas piscinas naturais que não tem nada a invejar a outras mais famosas. A estrada serpenteia pela encosta e há três miradouros perfeitamente posicionados para o espetáculo.

Praia Formosa Açores

De São Brás ao Castelo

Explorando a costa sul, passamos pelo Forte de São Brás e seguimos na direção da Praia Formosa. Este comprido areal branco recebe os turistas no verão, é palco para a prática do surfe e para os concertos do Festival Maré de Agosto. É um misto de paisagem rural com mar de grande encanto.

Chegados à Ponta do Castelo, monta-se o anfiteatro para um espetáculo único. O Farol da Maia fica no alto de uma encosta ao longo da qual se estendem campos de cultivo em socalco até ao mar. Daqui até à Cascata do Aveiro, uma das mais altas em Portugal com 110 metros, o cenário é sempre este. É o confronto entre o Homem e a natureza, numa luta de sobrevivência que delicia o visitante. Simultaneamente rude, pujante e acolhedora, Santa Maria tem aqui um retrato muito fidedigno da sua alma.