Visita relâmpago aos Açores

Escolha três ilhas dos Açores e faça uma escapadela relâmpago no arquipélago do Atlântico. Conheça as nossas recomendações para esta oportunidade única.

Conhecer os Açores a fundo é tarefa que implica dedicação, vagar e dinheiro. São 9 ilhas e o tempo é curto. Cada uma tem os seus encantos e características e apetece perder todo o tempo do mundo na sua descoberta. Para responder a uma cada vez maior vontade do mercado conhecer os Açores, há agora um passe aéreo que permite visitar todas as ilhas. Vamos aproveitar esta oportunidade única e convidamos a que venha também connosco nesta visita relâmpago aos Açores.

É dos mais belos pedaços do território, mas os Açores não são a primeira lembrança quando falamos de escapadelas. A dispersão das ilhas torna a visita um pouco complicada. A verdade é que muito poucos portugueses conhecem mais do que uma ou duas das ilhas do Atlântico.

Para atacar este “problema”, a SATA tem agora uma proposta muito curiosa e aliciante. O Azores Air Pass pode ser adquirido por qualquer não-residente e permite voar para até 3 destinos, com estadas de mais de 24 horas em cada. Assim, para uma escapadela de férias na estação baixa, a ideia de visitar 3 ilhas diferentes torna-se muito apelativa. Não resistimos e começámos imediatamente a imaginar: quais são os três destinos para descobrir uma face menos conhecida dos Açores?

1. Terceira

A ilha Terceira foi palco das lutas liberais, insurgiu-se contra os espanhóis e tornou-se depois plataforma militar no oceano. Antes de tudo isso, foi habitada durante milhares de anos apenas pelas aves que aproveitavam a riqueza desta terra. A força vulcânica pode ser vista no Algar do Carvão, Furna do Cabrito ou grutas basálticas que entram solo adentro. No interior, a paisagem é rural com a curiosa inclusão de plantas tropicais, e aproveita a riqueza dos sedimentos.

Angra do Heroísmo, a capital, é Património da UNESCO e uma pitoresca e convidativa terra. Visite a rua Direita, a Sé Catedral ou o Monte Brasil, para deliciar-se com o espírito relaxado da cidade. Suba à Serra do Cume e conheça um dos mais belos postais das ilhas ou passeie por Santa Bárbara, à procura da Lagoa do Negro e da Gruta do Natal. Quando regressava a casa, vindo das Galápagos, Charles Darwin fez aqui uma paragem e podemos fazer hoje o mesmo percurso que terá feito na altura.

2. Graciosa

Pequena, baixa e acidentada, a Graciosa é uma mancha branca no meio do Atlântico classificada como Reserva Mundial da Biosfera. É um local fantástico para o mergulho, pesca ou andar caiaque ou barco a explorar a costa. Em Santa Cruz, Folga e Praia pratica-se remo, vela e windsurf, enquanto na Calheta e Carapacho aproveitam-se os banhos de sol e mar. Neste último, a atividade vulcânica resulta em águas termais de 40c, com propriedades terapêuticas. As Termas locais têm uma série de serviços para o relaxe total com vista para o mar.

A ilha pode ser percorrida de bicicleta, cavalo ou carro e há paisagens deslumbrantes para se descobrir. Faça a estrada em redor da Caldeira, siga para as falésias da costa e delicie-se com os campos verdes. Não deixe ainda de conhecer a Furna do Enxofre, ex-libris local, e complemente com um salto até à Furna d’Água, Furna do Abel ou Furna da Maria Encantada.

Caldeira, Faial

3. Faial

Quando era conhecida como Ilha da Ventura, dizia-se que o Faial tinha ricas minas de prata. Ludibriados, os exploradores que aqui chegaram nada encontraram para além de um ilha amena e convidativa. Claro que foram ficando e, primeiro os flamengos, depois o resto do mundo, criou-se aqui um local cosmopolita que seduziria viajantes ao longo dos séculos. O primeiro destino (ou porta de chegada) de qualquer forasteiro tem que ser a marina. Há uma longa tradição de pintar murais a marcar a passagem das milhares de tripulações que já passaram por aqui. A vista do Pico, os mastros a ondular ao vento e o colorido destas pinturas são uma das imagens mais marcantes da Horta.

Seguindo depois para a frente de mar, os edifícios de traço colonial, os restaurantes e bares locais, parecem uma pequena cápsula do tempo, extremamente bem preservada. Já fora da cidade, é inevitável andar pelos trilhos dos vulcões. Capelinhos é um local impressionante, quase extraterrestre. A Caldeira, no centro da Ilha, é um anfiteatro verde gigante, onde reina apenas o som do vento. No momento da despedida, suba ao Miradouro de Nossa Senhora da Conceição e fique com um registo inesquecível da vista sobre a Horta, Pico, São Jorge e Graciosa.

Capelinhos

E ainda…

Com tempo, ou se já conhece alguma das três ilhas que destacámos, ainda aguardam mais 6 ilhas fabulosas. Santa Maria tem praias e miradouros. O Corvo tem um caldeirão impressionante. São Miguel tem a cidade mais hospitaleira de Portugal. São Jorge apaixona-nos com as suas paisagens brutas. Além de ter o ponto mais elevado do território nacional, a ilha do Pico é um paraíso para enófilos. Finalmente, a Ilha das Flores não se enganou no nome: é um das ilhas mais bonitas do arquipélago e um destino de eleição para os amantes da natureza.