4 técnicas de condução defensiva que podem salvar vidas

22 Novembro | 2016 | Goodyear

A condução defensiva é uma atitude e também um conjunto de técnicas que todos devemos usar para nos precavermos de acidentes, provocados por condutores embriagados, mau tempo ou um piso em mau estado. Se estivermos sempre atentos, com os olhos em permanente vigilância, conseguiremos determinar possíveis perigos de forma muito mais fácil e rápida. Reveja com a Goodyear 4 passos simples que farão de si um condutor mais seguro.

Conduzir é relativamente simples e quase qualquer um poderá fazê-lo, contudo tem que partir do próprio condutor o desejo e a vontade de se aplicar e concentrar em aprender algumas técnicas que o transformarão num condutor excepcional. Até os grandes pilotos de competição só chegam ao nível máximo quando conseguem ter uma atitude previdente, sempre a adivinhar o que se esconde atrás da próxima curva e a prepararem-se para o desafio. Não se ganham provas sem se chegar ao fim por isso, antes de acelerar a fundo, o melhor é transformar a condução defensiva numa segunda natureza.

Esteja sempre pronto para o inesperado

Ao longo de muitos anos de condução, habituamo-nos a que aconteçam coisas no nosso campo de visão a que deixamos de dar atenção: o peão que se aproxima da faixa de rodagem ou a criança a correr no passeio. À primeira vista não parecem ser um perigo para si nem para nós ao volante, mas a simples força da estatística diz-nos que, um destes dias, vão inevitavelmente tropeçar no asfalto ou a bola vai parar ao meio da estrada. O mesmo se aplica aos outros condutores: não faça pré-juízos em relação ao comportamento e intenções dos outros e assuma que, de certeza, vão cometer um erro mesmo à sua frente.

Obrigue os seus olhos e a sua atenção a percorrerem de forma sistemática todo o seu campo de visão. Passado alguns quilómetros a velocidade cruzeiro na auto-estrada, com aquela música boa no rádio, até nos esquecemos onde estamos e relaxamos a atenção. Um bom condutor é como um gato: sempre alerta a todos os pequenos sinais e ruídos e pronto a reagir.

condução defensiva

Um, dois, um, dois, um, dois…

A forma mais segura de andar no meio do trânsito é misturar-se com ele, não há outra hipótese. Siga à mesma velocidade da maioria dos carros que o acompanham na estrada e faça um constante gestão da velocidade e da distância entre si e o carro da frente. Use a “regra dos dois segundos” mas se conduzir atrás de um pesado, à chuva, nevoeiro ou neve, aumente a distância para quatro segundos.

Mesmo que um acidente pela traseira seja responsabilidade de quem vem atrás, a separação em relação ao carro de trás é tão importante como a da frente. Tente manter também o seu espaço e procure avisar quem vem atrás de qualquer movimento que vá executar. O uso das luzes de travão e dos “quatro piscas” em momentos de paragem súbita podem ser fundamentais para avisar o condutor que vem atrás. Alguns carros já contam com um sistema de flashes de aviso em caso de travagem inusitada.

Evite também circular mesmo ao lado de outros carros durante um longo período de tempo. O ideal é manter sempre todas as suas vias de fuga abertas, de modo a que tenha sempre estrada para onde se desviar em caso de emergência.

Faça-se notar

Para além de se lembrar de usar sempre os dispositivos de sinalização, os piscas e a buzina, a sua forma de condução deverá ser também suficientemente assertiva para que todos entendam o que pretende fazer e como. Use os faróis a partir do entardecer ou sempre que esteja a chover, não com a intenção de ver melhor, mas para que os outros condutores percebam que está em movimento.

Evite os pontos cegos e saia, logo que possível, de posições em que o condutor da frente não o consiga ver. Muita gente só olha para os espelhos na altura de mudar de faixa por isso parta sempre do princípio que o carro da frente não está consciente da sua presença. Neste cenário, acelere ou reduza até que consiga estar numa posição segura e visível.

A condução defensiva começa quando ainda estamos parados

Faça como os pilotos de aviação e habitue-se a fazer um pequeno pré-check a todos os sistemas. Ligue e desligue faróis, veja o estado dos limpa brisas, teste os travões nos primeiros metros de condução, etc.. Os defeitos que mais causam acidentes são pneus gastos, falta de travões, problemas na suspensão, lâmpadas queimadas, etc.. O estado do piso dos pneus é um ponto que não nos cansamos de alertar e pode encontrar aqui vários conselhos para perceber se está com a pressão e o piso correctos.

Finalmente, é antes de pegarmos no carro que ocorre a forma de condução defensiva mais importante de todas: estamos em estado de conduzir? Não conduza se não estiver em boas condições físicas e psicológicas, fadiga, entorpecimento ou excitação dos sentidos por ingestão de bebidas ou drogas, sonolência ou com problemas visuais ou auditivos.

Good Year Kilometros que cuentan